Confidências duma Balzaquiana desiludida com alguns homens e surpreendida com outros

28
Mai 09

 

O assunto é melindroso e vou tentar ser o mais cirúrgica possível.

Caros amigos e amiguinhas, a amizade numa relação é em todos os aspectos o pontífice máximo a que se pode ascender, é ela a base e o cume, é a garantia do respeito, sinceridade e fidelidade assim como o elo mais durável que prende duas pessoas… tendo isto, todos concordamos que o conceito da balela "só amigos" é em si uma intrujice de quem não tem amizade para dar…

Então se dois sujeitos, (um masculino e outro feminino, ou dois femininos, ou dois masculinos ou outra combinação …), se andam a papar um ao outro durante algum tempo, ou a viver um episodio romântico, vá, (…"por ser para ti eu uso um eufemismo"… Lado Lunar de Rui Veloso), e é chegada a altura de acabar a relação amorosa, voltam a ser amigos, mas não só amigos… e sim simplesmente amigos… porque ninguém é na realidade só amigo, ou são amigos ou não são… e no caso em cima da mesa, (e perdoem-me a franqueza mas eu gosto muito…) depois de terem vivido situações de maior cumplicidade e intimidade, nunca poderão voltar a ser só amigos, porque ambos já terão visto os entre folhos um do outro, os da alma e os do corpo e a amizade ascende a outro patamar… se continuarem deveras amigos, então só ascende e nunca poderá acontecer o contrário.

As regressões na intensidade da relação entre duas pessoas após acabarem um episódio romântico é natural durante um curto período de tempo, apôs o qual existem dois caminhos para o futuro da relação, ou uma amizade mais consolidada e forte, ou o distanciamento entre os dois actores; nesta última eles passam um pelo outro e acenam com a cabeça, e creio que é a isto que vulgar e erroneamente se referem quando dizem vamos ser só amigos…

O meu conselho é, se algum dia usarem esta balela convosco, peçam-lhe para ir ver se está a chover no Líbano…

Autoria: Alguém muito especial!!!
 
Balzaquiana às 22:06
sinto-me: inspirada
música: Efectivamente - GNR

21
Mai 09

 

 

 

 

 

Fui encontrar este texto no meu "baú" de recordações......

Simples, mas com conteúdo.

Aqui fica porque gosto da mensagem que transmite.

 

Não precisas que gostem de ti se não o fizeres tu mesmo. De inventar outras vidas se a tua não cumpriu os sonhos que dela fizeste.

É melhor que gostem de ti pelo que és, com todos os teus defeitos e atavios. Com tudo o que a vida te deu e ensinou.
Preferível a gostarem de alguém que nem tu próprio reconheces e em quem tropeças a cada instante. Porque nos contos e enredos que fabricas te enrolas e sufocas, levando ao fundo contigo aqueles que te amam.
E só há uma versão na tua vida que vale a pena e é real. Todas as outras são de usar e deitar fora com os pedaços quebrados dos corações que as viveram.
Enfrentar a realidade e mostrá-la quando apetece ser outro, é um acto de coragem que muitos não suportam e por isso fantasiam.
Deixa-me então ouvir-te de dentro de ti. Quem sabe não te direi as palavras que precisas de ouvir.
Se não o fizeres, nunca o saberás. Continuarás perdido num mundo em que as máscaras acabam coladas nos rostos, escondendo corações que fazem só o que sabem em ritmos descompassados e já nada conhecem do que é sentir.

Fala-me de ti se quiseres e quando quiseres. Sabes que te escuto embora ás vezes pareça viajar.
Só te peço uma coisa: que sejas tu, inteiro.

Com verdade e sem omissões.

 

 

Balzaquiana às 22:13
sinto-me: bem disposta
música: Broken Things
tags: ,

08
Mai 09

Qualquer semelhança com pessoas que eu conheça não é mera coincidência!

Não faço uma dedicatória mas nem é necessário....ou será?

Por via das dúvidas dedico este texto a um certo cavalheiro do mundo das consultadorias......

 

Muitos filmes de Hollywood abordam o mito do vampiro. Pois, é...eu tenho más notícias... eles EXISTEM!! Talvez não da maneira como estamos acostumados a ver nos filmes: mortos-vivos que só saem à noite para beber sangue dos vivos e manter a sua imortalidade. Mas existe um outro tipo de vampiro com o qual devemos ter muito cuidado. Eles são conhecidos como vampiros emocionais. São qualquer tipo de pessoa(viva, claro!) que tira (ou suga) a tua alegria, o teu entusiasmo e amor próprio, a tua energia.
Estes vampiros são geralmente pessoas inteligentes que primeiro usam as vítimas e as vão sugando até perceberem que elas já não servem para mais nada. Quando isso acontece abandonam-te para ir atras de outras vitimas! Eles geralmente são pessoas carentes que não têm nenhum respeito pelos sentimentos alheios. Instalam-se na tua vida e se realmente te encantares com um deles é normal que sofras horrores quando te deixarem. Claro que isso acontece porque a tua energia emocional terá sido sugada e para a regenerar é necessário ter muita força de vontade e talvez ajuda de um psicólogo. Temos como grandes exemplos desses vampiros os namorados(as) e amigos(as).
Como reconhecê-los? Simples, por norma, estas pessoas são extremamente carentes, imaturas, desconfiadas, manipuladoras e autoritárias. São do tipo que faz birrinha por tudo e por nada, que adoram criticar-te, humilhar-te....em suma gostam de te ver rastejar. Em compensação têm o dom de como ninguém te fazerem sentir especial e criam em ti uma necessidade absoluta dele. Claro que o ego de um vampiro emocional é do tamanho do mundo e ele adora sentir que tu estás na mão dele.
Outra das características de um vampiro emocional é a solidão em que ele vive. Por norma estas pessoas são introvertidas e embora gostem de ostentar um charme e glamour fora do normal, embora seja evidente a sua inteligência e cultura, vivem muito sozinhos. Não que vivam sózinhos! Têm uma dificuldade imensa em fazer amigos. Apesar de todas as aparências em contrário: conhecem todo o mundo e mais alguém. Por isso é normal que quando conseguem “agarrar uma presa”, grudam nela, até que tenham sugado tudo o que lhes interessa. Mais um pormenor interessante: Os vampiros emocionais, conseguem fazer vir à tona o que há de pior em ti. Isto é válido para todos os tipos de relacionamento com um vampiro, incluindo uma relação amorosa.
A forma de “caçar” vitimas é dando-lhes continuamente aquilo que supõem que as atraiu para eles.
Reparem como se sentem quando estão perante um vampiro emocional.
Regra geral os sintomas são irritabilidade, flutuações de humor e mesmo desanimo. Por norma nas relações amorosas, a vítima deseja muito estar com ele, mas quando finalmente está , conta os minutos para ele se ir embora. Por fim , quando ele já foi, a apatia instala-se. A vítima sente-se como um balão vazio, sem forças e não raras as vezes sente uma enorme vontade de chorar e isolar-se.
Cuidado com quem se envolvem. Os vampiros emocionais andam por aí.

 

Balzaquiana às 23:03
sinto-me: inspirada
música: Stillness of Heart - L. Kravitz

blogs SAPO
mais sobre mim
Gosta de alguém que te ame, alguém que te espere, alguém que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguém que te ajude, que te guie, que seja o teu apoio, a tua esperança, teu amigo. Gosta de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que pense em ti, que pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito. Gosta de alguém que sofra junto contigo, que ria junto a ti, que limpe as tuas lágrimas, que te abrigue quando necessário, que fique feliz com as tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso. Gosta de alguém que volte para conversar contigo depois das brigas, depois do desencontro, de alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro, que respeite as tuas fantasias, as tuas ilusões. Gosta de alguém que te ame, que te respeite, que seja teu cúmplice. Gosta de alguém que te ame. Não gostes apenas do Amor, gosta de alguém que sinta o mesmo sentimento por ti, que goste realmente de ti.
As imagens aqui utilizadas foram quase todas retiradas da Internet
blogs SAPO