Confidências duma Balzaquiana desiludida com alguns homens e surpreendida com outros

11
Ago 08

E lá apareceu muito bem disposto.

Sentámo-nos à mesa, encomendou-se a comida e começou a conversa.

E sem que eu estivesse à espera começou um monólogo surrealista.

" Tens que perceber que eu tenho uma vida muito ocupada e que não posso estar livre quando quero!

E se não atendo o telefone é porque estou numa reunião!

Além de que outro dia me faltaste ao respeito ao não perceber que se eu me esqueci é porque tinha assuntos mais graves em que pensar!"

Eu estava  a ouvir este chorrilho de palavras e a pensar: "isto não me está a acontecer!"

Mas apenas tinha começado!

"Tens que perceber que devido às minhas condicionantes não tenho condições de ter uma relação com alguém e neste caso contigo. Além do mais fiquei com a sensação de que não gostas de crianças e de que as minhas filhas não iriam dar-se bem contigo!"

Aqui interrompi-o e apenas disse: "Realmente não gosto de crianças mal educadas . E quanto às tuas filhas parece-me que estás a fazer um filme muito dramático pois se nem sequer uma foto vi.......mas tu lá sabes porque dizes isso!"

Veio a comida e confesso que o que me apeteceu foi levantar-me dali e ir embora. A comida quase que não lhe toquei mas ainda tinha muito mais para ouvir.

"E depois de pensar bastante cheguei à conclusão de que o melhor é parar por aqui antes que haja mais danos ou que tenha que lamentar alguma coisa!"

Fim de discurso.

Eu nem sabia bem o que havia de pensar.

Lá acabou o malfadado jantar e de repente, como já tinha dito tudo e estava livre de mim que devia constituir uma ameaça para as donzelas e para ele próprio, veio-lhe a boa educação ao de cima.

-Já é muito tarde vou-te levar a casa.....

-Obrigada mas não é preciso. Afinal já sou bem crescidinha e nunca precisei de amas.

-Mas eu faço questão....

-Mas eu não.

Silêncio.

Depois rematou: "É a vida!"

Pensamento profundo.

Despedi-me e fui-me embora. Pelo caminho nem conseguia acreditar que me tinha posto a andar com este tipo de argumentos.

Mas a consciência do cavalheiro devia estar pesada pois vá de telefonar para saber se eu estava bem.

Como diz o povo quem não tem vergonha todo o Mundo é seu!

E fui pensando que como os mesmos factos podem ser utilizados a nosso favor quando se tem uma mente doentia e se magoa outra pessoa com a nossa "sinceridade"!

E assim levei uma corrida em osso dum artista português muito sincero e com uma imaginação demasiado fértil! 

Balzaquiana às 20:53
sinto-me: capaz de morder em alguém ;-))
música: Sweet about me - Gabrilla Cilmi

comentário:
Costuma-se dizer que só nos desiludimos porque nos iludimos
Boa sorte para a próxima !
JMS
joka a 12 de Agosto de 2008 às 12:42

blogs SAPO
mais sobre mim
Gosta de alguém que te ame, alguém que te espere, alguém que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguém que te ajude, que te guie, que seja o teu apoio, a tua esperança, teu amigo. Gosta de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que pense em ti, que pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito. Gosta de alguém que sofra junto contigo, que ria junto a ti, que limpe as tuas lágrimas, que te abrigue quando necessário, que fique feliz com as tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso. Gosta de alguém que volte para conversar contigo depois das brigas, depois do desencontro, de alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro, que respeite as tuas fantasias, as tuas ilusões. Gosta de alguém que te ame, que te respeite, que seja teu cúmplice. Gosta de alguém que te ame. Não gostes apenas do Amor, gosta de alguém que sinta o mesmo sentimento por ti, que goste realmente de ti.
As imagens aqui utilizadas foram quase todas retiradas da Internet
blogs SAPO