Confidências duma Balzaquiana desiludida com alguns homens e surpreendida com outros

13
Ago 08

 

 Por muito tempo o cavalheiro que queria muito ser meu amigo se afastou mas lá dava sinal de vida para saber saber se eu estava bem: um perfeito gentleman.

Eu andei a bater mal  bastante tempo sem perceber o que tinha acontecido para semelhante comportamento. Teria eu feito alguma coisa que o melindrou? Teria eu expresso alguma opinião que o ofendeu? Que tinha eu feito de errado?

Chegava sempre à mesma conclusão: eu apenas tinha sido verdadeira nas minhas opiniões e nas minhas acções , isto é, tinha sido genuína.

Não tinha andado a representar um papel ou a fingir ser o que não era.

Passado muito mas mesmo muito tempo e no meio duma conversa com o cavalheiro, fiz-lhe a seguinte pergunta: " porque motivo é que de repente mudaste de ideias e te afastaste?"

Uma pausa longa, um olhar para o vazio e eis a resposta:

"Porque tu não soubeste vender a tua imagem e como tal eu afastei-me"

Devo ter feito uma cara que achou por bem acrescentar: "Antes que me viesse a arrepender"

De mal a pior.

Eu na altura fiquei parva a pensar: "Vender a minha imagem? Será que eu sou um detergente ou um refrigerante que são apresentados como os melhores mas que são apenas isso mesmo? "

Apenas expressei uma frase: "pois realmente não vendi a imagem!"

E ainda hoje quando me lembro desta frase me sinto zangada.

Eu sou um ser humano, com qualidades e defeitos, não sou perfeita mas alguém pensar que eu devo vender a minha "imagem" é o cúmulo do descaramento. E só demonstra que aquela pessoa nunca fez um esforço para me aceitar e compreender daí eu não ter "encaixado" na retrato que ele fez de mim. Se calhar ainda bem.

Mas é triste ser comparada a um consumível. E daí o deitar fora quando já não interessa.

Mas no meio disto tudo ainda houve mais palavras bonitas: "mas com o passar do tempo tu mudaste e eu mudei a minha opinião a teu respeito".

Eu não mudei mas enfim. "....e começaste a perceber como eu sou".

Isso é verdade: comecei a perceber o que não devia dizer em determinadas alturas mas que em outras era o que devia ser dito. O chamado jogo de cintura.

Mas a melhor foi esta: ".....tu deixaste de te preocupar em dizer as coisas certas e passaste a borrifar-te para o que eu pensava!"

Bingo! É que o jogo de cintura cansa e para quê estar a usar palavras muito bonitas quando nos apetece dar um berro? Viver contrariada não é bem o meu género.

E assim se revela a verdade , sem filtros nem palavrinhas de circunstância.

Caso para perguntar: Custava muito ter sido honesto? Não, digo eu.

Mas muito tempo se passou muitas "amigas" passaram pela vida do meu amigo e como tudo se sabe também em relação a algumas o ouvi dizer: "Não me respeitaram!"

Curioso. Se calhar porque para respeitar é necessário respeitar o outro e dar-se ao respeito.

E como conclusão deste conturbado episódio da minha vida apenas posso dizer:

Quem não me aprecia não me merece.

 

 

Balzaquiana às 20:56
sinto-me: a remoer
música: N'Oubliez jamais- Joe Cocker

comentários:
Tal como eu te disse na altura tu foste apenas uma AVENTURA de verão, para passar otempo.
Espero que tenhas aprendido alição!
Xi
Teresa a 14 de Agosto de 2008 às 21:35

Eu diria que fui mais uma desventura de verão......Acontece a todas as mulheres terem um f*p* na sua vida e ambas tivemos o nosso
Bjs
Balzaquiana a 15 de Agosto de 2008 às 12:55

Sempre se tem uma "imagem" mental do outro mas alguém ser rejeitado por não corresponder a essa imagem é um caso de psiquiatria ou de má formação moral.
Anónimo a 3 de Setembro de 2008 às 13:50

No caso não passava de um sacaninha.
Acontece.
Balzaquiana a 3 de Setembro de 2008 às 14:40

blogs SAPO
mais sobre mim
Gosta de alguém que te ame, alguém que te espere, alguém que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguém que te ajude, que te guie, que seja o teu apoio, a tua esperança, teu amigo. Gosta de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que pense em ti, que pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito. Gosta de alguém que sofra junto contigo, que ria junto a ti, que limpe as tuas lágrimas, que te abrigue quando necessário, que fique feliz com as tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso. Gosta de alguém que volte para conversar contigo depois das brigas, depois do desencontro, de alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro, que respeite as tuas fantasias, as tuas ilusões. Gosta de alguém que te ame, que te respeite, que seja teu cúmplice. Gosta de alguém que te ame. Não gostes apenas do Amor, gosta de alguém que sinta o mesmo sentimento por ti, que goste realmente de ti.
As imagens aqui utilizadas foram quase todas retiradas da Internet
blogs SAPO