Confidências duma Balzaquiana desiludida com alguns homens e surpreendida com outros

16
Set 08

Muito se fala nos últimos tempos em traição.

Procuram-se novas explicações para justificar a traição.

E até se arranjou um eufemismo para a traição: a neo-monogamia.

Tudo muito desempoieirado, muito modernaço, tudo sem culpa.

E é na culpa que reside o problema.

Traiu: sente culpa? Ou não existe qualquer problema e vai de repetir?

Hoje li uma pérola dos novos tempos: "C. ama o namorado com quem quer casar mas não consegue deixar de ter casos com outras pessoas."

Ama o namorado? Duvido.

Quer casar com o namorado? Acredito.

É que para a geração casadoira o casamento não passa dum acontecimento social.

Que implica apenas ter que viver com o outro. Sentimentos? Amizade e cumplicidade.

Quando se esgotam adeus e vai à tua vida .

Amor? Sentimento fora de moda.

Por isso trair passou a ser tão in.

E isto aplica-se tanto aos homens como às mulheres.

No entanto pergunto-me que valores morais têm estas pessoas e que tipo de monstros emocionais serão gerados em meio familiar tão estranho.

Porque  não podem ensinar um filho a ser leal e fiel a um companheiro porque eles próprios não o são e nem devem saber o que isso é.

Outra afirmação que li num outro artigo ainda é mais imaginativo.

"M. traiu o marido porque se sentia mal-amada e desse modo reencontrou e fortaleceu o seu amor-próprio".

Bem só faltava isto: a traição serve de terapia para fortalecer a auto-estima.

De quem traiu porque quem foi traído deve ficar com a auto-estima ( e não só) bem danificada.

Realmente eu não sou desta época.

Trair é trair.

Tentações todos temos mas se estamos numa relação satisfatória não percebo o que se obtém de mais valia em trair.

Se a relação não é satisfatória então a honestidade, a lealdade e o respeito que o outro nos deve merecer obriga-nos a sair dessa relação e ir procurar a satisfação noutro lado.

Agora arranjar explicações de mau pagador é triste e não abona a favor de seres pensantes que deveríamos ser.

E muito menos demonstra que somos pessoas bem formadas.

Mas isto é o que eu penso.

Balzaquiana às 20:40
sinto-me: confusa
música: The Last Time - Keane

comentários:
Deve ser do calor.......convida a pensamentos e actos pecaminosos

Mas quem já foi traído não esquece o sabor amargo da traição.

KIss
Pat a 17 de Setembro de 2008 às 21:23

Já passamos por isto mas dói sempre e sobretudo não tentem explicar o que não tem explicação!

Gostei
Teresa a 17 de Setembro de 2008 às 21:25

Minha querida, o homem e a mulher têm uma capacidade de amar que só acontece verdadeiramente uma ou duas vezes na vida. Já vi que a menina é daquelas pessoas que não acredita que é possível amar mais que uma pessoa e simultaneamente.
Já vi que a menina é absorvente. E já vi que ainda não pensou que o Amor infelizmente acontece subitamente como a trovoada numa noite de Inverno.
Anónimo a 29 de Novembro de 2008 às 14:21

Meus Deus! Visão de lince!
Absorvente? Se isso quer dizer que quando estou numa relação, estou inteira e espero o mesmo da outra parte então sou mesmo absorvente.
E ainda bem.
Sassaricar é algo muito masculino mesmo.
Aliás como o caro Anónimo.
Só um homem para ficar tão irritado com a minha "absorvência".
Deixe lá que há mulheres que não se importam de dividir.
Eu importo-me.
Balzaquiana a 29 de Novembro de 2008 às 18:09

blogs SAPO
mais sobre mim
Gosta de alguém que te ame, alguém que te espere, alguém que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguém que te ajude, que te guie, que seja o teu apoio, a tua esperança, teu amigo. Gosta de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que pense em ti, que pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito. Gosta de alguém que sofra junto contigo, que ria junto a ti, que limpe as tuas lágrimas, que te abrigue quando necessário, que fique feliz com as tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso. Gosta de alguém que volte para conversar contigo depois das brigas, depois do desencontro, de alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro, que respeite as tuas fantasias, as tuas ilusões. Gosta de alguém que te ame, que te respeite, que seja teu cúmplice. Gosta de alguém que te ame. Não gostes apenas do Amor, gosta de alguém que sinta o mesmo sentimento por ti, que goste realmente de ti.
As imagens aqui utilizadas foram quase todas retiradas da Internet
blogs SAPO