Confidências duma Balzaquiana desiludida com alguns homens e surpreendida com outros

28
Mai 09

 

O assunto é melindroso e vou tentar ser o mais cirúrgica possível.

Caros amigos e amiguinhas, a amizade numa relação é em todos os aspectos o pontífice máximo a que se pode ascender, é ela a base e o cume, é a garantia do respeito, sinceridade e fidelidade assim como o elo mais durável que prende duas pessoas… tendo isto, todos concordamos que o conceito da balela "só amigos" é em si uma intrujice de quem não tem amizade para dar…

Então se dois sujeitos, (um masculino e outro feminino, ou dois femininos, ou dois masculinos ou outra combinação …), se andam a papar um ao outro durante algum tempo, ou a viver um episodio romântico, vá, (…"por ser para ti eu uso um eufemismo"… Lado Lunar de Rui Veloso), e é chegada a altura de acabar a relação amorosa, voltam a ser amigos, mas não só amigos… e sim simplesmente amigos… porque ninguém é na realidade só amigo, ou são amigos ou não são… e no caso em cima da mesa, (e perdoem-me a franqueza mas eu gosto muito…) depois de terem vivido situações de maior cumplicidade e intimidade, nunca poderão voltar a ser só amigos, porque ambos já terão visto os entre folhos um do outro, os da alma e os do corpo e a amizade ascende a outro patamar… se continuarem deveras amigos, então só ascende e nunca poderá acontecer o contrário.

As regressões na intensidade da relação entre duas pessoas após acabarem um episódio romântico é natural durante um curto período de tempo, apôs o qual existem dois caminhos para o futuro da relação, ou uma amizade mais consolidada e forte, ou o distanciamento entre os dois actores; nesta última eles passam um pelo outro e acenam com a cabeça, e creio que é a isto que vulgar e erroneamente se referem quando dizem vamos ser só amigos…

O meu conselho é, se algum dia usarem esta balela convosco, peçam-lhe para ir ver se está a chover no Líbano…

Autoria: Alguém muito especial!!!
 
Balzaquiana às 22:06
sinto-me: inspirada
música: Efectivamente - GNR

23
Nov 08

Numa relação que acabou é incontornável: há ganhos e perdas.

Para ambos os lados.

E apesar do socialmente correcto "ficámos bons amigos" existem mágoas e ressentimentos.

Aliás ainda gostava de entender como é que 2 pessoas que foram íntimas descem alguns degraus e passam a ser "bons amigos".......

Eu devo ser uma aberração: nunca consegui ficar boa amiga de nenhum dos meus ex.

Mau feitio, está visto!

De alguns o máximo que consegui foi continuar a dar-lhes os parabéns e as boas festas; ainda tentei com alguns mas existe demasiado passado para conseguir ser muito modernaça.

Mas voltando atrás: numa relação existe sempre um que "dá" mais que o outro.

Tem a ver com a personalidade e também com o facto de homens e mulheres terem condutas diferentes face à vida.

Quando me refiro a perdas o que me vem à memória é o que se perdeu em termos emocionais. Porque termos entregado emocionalmente a alguém que acabou por não entender esse gesto magoa muito.

O estar por estar é a causa de muito sofrimento.

E se calhar eu não tive muita sorte: eu sempre estive inteira numa relação e nem sempre o parceiro fez o mesmo.

Daí que a nossa auto-estima comece a ser minada por dúvidas, por desconfiança e finalmente cheguemos a uma conclusão: melhor ir cada um para seu lado, viver a sua vida.

É um passo de coragem, admito.

E quantas pessoas o não fazem por medo de......

Acho uma cobardia nã acabar o que não faz mais sentido.

O manter um relacionamento moribundo só porque "dá jeito" é uma atitude de pura cobardia.

E nesse ponto as mulheres são de facto mais corajosas.

E quando batem com a porta raramente a tornam a abrir.

Porque foi uma atitude bem amadurecida e não fruto de um impulso.

Por isso uma mulher que termina uma relação faz um luto.

Um homem vai logo à procura da próxima.

Ou fica a lamber as feridas ou como se diz "com dor de corno".

Mas acabar uma relação é sempre um momento de reflexão.

 

 

Balzaquiana às 18:32
sinto-me: pensadora
música: I'm Yours - Jason Mraz

blogs SAPO
mais sobre mim
Gosta de alguém que te ame, alguém que te espere, alguém que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguém que te ajude, que te guie, que seja o teu apoio, a tua esperança, teu amigo. Gosta de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que pense em ti, que pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito. Gosta de alguém que sofra junto contigo, que ria junto a ti, que limpe as tuas lágrimas, que te abrigue quando necessário, que fique feliz com as tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso. Gosta de alguém que volte para conversar contigo depois das brigas, depois do desencontro, de alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro, que respeite as tuas fantasias, as tuas ilusões. Gosta de alguém que te ame, que te respeite, que seja teu cúmplice. Gosta de alguém que te ame. Não gostes apenas do Amor, gosta de alguém que sinta o mesmo sentimento por ti, que goste realmente de ti.
As imagens aqui utilizadas foram quase todas retiradas da Internet
blogs SAPO